VOCÊ NÃO ESTÁ NO CONTROLE


Estava tudo bem até que começou a chover. 

             Acordei, tomei banho, me arrumei, fiz minha devocional e ao sair de casa fiquei preso na sombra de um prédio devido à inesperada forte chuva que resolveu aparecer e me deixar aflito. Aflito porque estava praticamente atrasado para tomar meu café. Faltavam apenas quinze minutos para o restaurante fechar. Meu coração disparou e comecei a pensar milhares de coisas, dentre elas, a possibilidade de voltar para casa, pois já tinha tomado literalmente um banho. Estava ensopado de água.


                    Até que Deus falou comigo de uma forma tão singela, mas que fez totalmente sentido. Lá dentro algo sussurrava dizendo: você não está no controle, espera tão somente. Eu não entendi muito bem, já que não via saída. A chuva parecia tão forte que não iria acabar cedo. No fundo só questionava, duvidava e o tempo passava.

              Mas, resolvi fazer uma oração, ainda com pouca fé, porém com sede de orientação do Senhor e para que se possível diminuísse a chuva. Aparentemente não tinha funcionado, como das outras vezes. A chuva aumentava cada vez mais. E eu cada vez mais desanimava. O que restou foi esperar, não poderia fazer nada. Pois, estava sem o controle da situação.

                 Com isso, passaram-se cerca de cinco minutos, até que o sol começou a aparecer e a chuva desaparecer. Segundo após segundo ela enfraquecia e minha descrença e orgulho aparecia cada vez mais, porque era improvável conseguir chegar a tempo, já que faltavam apenas dez minutos para fechar o restaurante.

            Não demorei muito pensando, comecei a caminhar a passos largos até que finalmente consegui chegar a tempo e fazer minha refeição. No mesmo instante, senti o peso da minha pouca fé e pude entender que não posso controlar todas as coisas. Deus está SEMPRE no controle!

               Além disso, aprendi que:
muitas vezes na vida a única coisa que podemos e devemos fazer é ESPERAR. Pois, por mais que Deus pareça esteja distante ou ocupado demais, Ele opera em sua soberania de forma incrível. Prova disso, é essa mensagem que pôs no meu coração.

                Olho para tudo isso agora e vejo que mesmo sendo, às vezes inconstante, Deus faz questão de ser CONSTANTE porque nunca muda (Ml 3:6) e atende o clamor de um coração aflito (Sl 6:9), quando segundo a sua vontade. A chuva poderia não ter passado. Eu poderia não ter chegado a realizar minha refeição. Mas certamente a lição permaneceria: Você não está no controle! Eu também não. 

Vamos nos ver por aí? Acompanhe-me nas redes sociais: 

ALGO EM MÃOS?


             Se você conviver comigo, não vai demorar muito para perceber o quanto sou falho nas obras que tento realizar com a “força do meu braço”. Ao olhar para o meu interior, minha alma grita: o que tenho para oferecer a Deus? Estou certo de que não se pode dar algo sem ter. E, se tudo que tenho e sou vem dEle, soa a seguinte questão: o temos feito com o Que Ele fez? Ou ainda, qual tem sido sua contribuição no reino?
            Minha intenção não é deixar você aflito ao pensar no que se deve fazer em especifico para agradar ao Senhor, mas provocar reflexão a respeito do que você tem feito com sua vida para Ele. Afinal, não é sobre “eu ou você”, tem TUDO a ver com Ele e não podemos cruzar os braços e negligenciar responsabilidades. Assim, vale perguntar: o que você tem em mãos?

ninguém se apresentará a mim de mãos vazias”. Ex. 23:15b


                 Lembro bem que há muito tempo apresentei uma peça adaptada intitulada “mãos vazias” e o cenário era bastante agoniante, pois remetia a volta de Jesus para buscar a sua Igreja e avaliação a despeito das obras dos homens no tocante ao que fizemos com o que recebemos dEle. Eu apenas chorava ao pensar que não tinha nada em mãos, só minhas desculpas.
            Embora, o foco não seja diretamente sobre escatologia, vale lembrar que toda ideia de barganha que coloque a ação de Deus como dependente dos fazeres humanos é um perigo, pois Ele não depende de nós! Eu que preciso dEle (e você, também) e tudo que nos faz pensar que o homem está no centro deve ser arrancado do coração.
            O trecho bíblico em destaque (Ex. 23:15b) ilustra uma orientação sobre as festas de Israel em que “algo em mãos” representam oferta de gratidão pelas bênçãos imerecidas de Deus, bem como simboliza a consagração e devoção do povo a Deus ao dedicar os primeiros frutos da colheita pela libertação do Egito. Era uma forma de expressar contentamento em Deus a respeito do seu agir. Como você tem feito isso? (ou não tem feito?).
            Algumas pessoas, podem se precipitar e ocupar-se demais criando fardos e sacrifícios na tentativa de fazer algo para o Senhor e esquecer o que Cristo realizou ao passo que se tornam meramente religiosos. Precisamos entender que Jesus satisfez todo sacrifico que era passível ao homem, mas que seria impossível ao nosso braço. Nem por isso, significa dizer que agora devamos ficar sentados e satisfeitos.
            Pelo contrário, em Cristo as mãos vazias são preenchidas pelo mérito dEle, sendo o viver em obediência, conforme vontade de Deus e sua Palavra o melhor que podemos apresentar. E o fazer, uma consequência da entrega completa e genuína a Deus não apenas do coração, mas de todo o ser; não apenas da boca para fora.

Pois, como diz a canção: 
Que posso dizer? Que posso fazer?
Senão entregar-te, oh Deus, o meu coração? 
- Me rendo (Hillsong Global Project / Diante do Trono)


Deixe seu feedback ou se preferir podemos nos encontrar por e-mail ou redes sociais abaixo: